Sector de Empresas

repsol mar2017Hoje o PCP esteve presente na Repsol Polimeros e no Hospital do Litoral Alentejano(HLA).

Na Repsol, os relatos de trabalhadores com vínculos precários são muitos, principalmente relacionados com os prestadores de serviços/empreiteiros e sub-empreiteiros. Relatos de alteração de local de trabalho de um dia para o outro, de trabalhadores que trabalham para a mesma empresa anos e anos, mas que os contratos cessam com a obra onde estão, demore ela 6 meses ou dois anos, fazendo com que para além da instabilidade e precariedade em que vivem, nunca cheguem a sair do salário-base.

Estes relatos confirmam a justeza das propostas apresentadas pelo PCP no combate à precariedade, seja no sector público, seja no privado, reafirmamos que a trabalho permanente deve corresponder um vinculo efectivo, e que só através da luta organizada dos trabalhadores nos seus sindicatos de classe derrotarão os objectivos do patronato, empresa a empresa, local de trabalho a local de trabalho.

Neste quadro, o PCP aproveita para valorizar a luta dos trabalhadores do consórcio de manutenção da Refinaria de Sines da Petrogal pela sua persistente e pelos direitos já conquistados.

venda avante repsol mar2017O jornal Avante! saiu ontem com um novo grafismo. O principal objectivo é tornar mais fácil e apelativa a leitura do nosso jornal, sem prejuízo do seu conteúdo e características enquanto órgão central do PCP.

venda avante petrogal mar2017

Neste contexto e no momento em que está em marcha uma campanha de divulgação e difusão do Avante!, a DORLA organizou para esta edição um conjunto de iniciativas de venda do nosso jornal por toda a região, com o objectivo de venda de mais de 150 jornais.

Realizaram-se, esta quinta-feira, duas acções junto dos trabalhadores na Refinaria de Sines e Repsol , com a venda de mais de duas dezenas de jornais no seu total.

Clique aqui, para ler o artigo que saiu no Avante! N.º 2255, de 16 Fevereiro 2017 sobre os 86 anos do nosso jornal e a campanha de difusão em curso.

edp mar2017Está hoje em distribuição aos trabalhadores da EDP um comunicado da Célula do PCP a propósito dos resultados de 2016 que serão anunciados amanhã.

Foi nesse âmbito que se realizaram várias iniciativas de contacto com trabalhadores do Grupo EDP no Litoral Alentejano, na Central Termoelectrica de Sines e em Alcácer do Sal e Santiago do Cacém junto dos trabalhadores da EDP Distribuição. 

Um comunicado onde se destaca a origem dos cerca de mil milhões de lucros: os trabalhadores e os utentes. Um comunicado onde se sublinha a necessidade de recuperar a EDP para o sector público, de combater a crescente precariedade e exploração, de reverter o processo de pulverização da empresa. Um comunicado onde se apela à organização dos trabalhadores.

Attachments:
Download this file (EDP lucros mar2017.pdf)EDP lucros mar2017.pdf[ ]

psa 2017 0202 1No âmbito da 2ª fase da campanha contra a precariedade “Mais direitos, mais futuro. Não à precariedade realizou-se um contacto com os trabalhadores do Terminal de Contentores – Terminal XXI.

Num momento em que se volta a bater records de movimentação de carga no terminal, a exploração e a precariedade é o que sobra para os trabalhadores. Grande parte dos trabalhadores têm baixos salários e existe uma grande desregulação dos horários de trabalho.

“Sei que pelo menos até as 17 horas vou trabalhar” dizia um dos trabalhadores, sem saber a que horas iria voltar para casa.

manif efatm lx 25012016 3Os trabalhadores do consórcio de manutenção da Refinaria de Sines da Petrogal, deslocaram-se hoje à sede da empresa em Lisboa em luta por aumentos salariais.

Paula Santos, deputada do PCP na Assembleia da República, integrou a delegação do PCP presente nesta acção de luta. Nas breves palavras que a deputada do PCP teve oportunidade de transmitir aos trabalhadores, mostrou a total solidariedade com esta justa luta dos trabalhadores pela valorização dos salários e dos trabalhadores e lembrou as várias iniciativas do PCP na Assembleia da República para valorizar os salários e os trabalhadores, por aumentos salariais, mas também contra a precariedade no trabalho e em defesa da contratação colectiva. Iniciativas estas que vão continuar e que os trabalhadores podem continuar a contar com o PCP nessa mesma luta em defesa dos trabalhadores e do povo.

O PCP relembra que a luta destes trabalhadores, de vários anos, já se manif efatm lx 25012016 5concretizou na melhoria dos contratos existentes, que já passaram de ser pagos “à hora” e tem um contrato a prazo, que conseguiram a melhoria do pagamento do trabalho extraordinário e a conquista de seguro de saúde. A luta destes trabalhadores já é um exemplo de que vale a pena lutar, e que lutando se defende, repõe e se conquista direitos.

O PCP apela aos trabalhadores que continuem unidos na luta em defesa dos seus direitos e justas revindicações e que podem continuar a contar com o PCP.